segunda-feira, 17 de março de 2014

Vitória, vantagem e algum futebol.

A vitória de ontem contra o Rio Branco na abertura das quartas de final do Paranaense 2014 fez com que o Coxa traga a decisão da vaga para dentro de casa com um vantagem ainda maior do que a levada para Paranaguá. 

A apresentação Alviverde ainda está longe de ser o futebol que se projeta para um bom 2014, e até pela oscilação de apresentações da equipe, melhor esperar os próximos desafios para cravarmos uma real evolução ou não. 

Fazendo uma comparação com o jogo de quinta passada contra o Cene, pelo menos ontem uma coisa a equipe mostrou melhora: foco na definição do jogo. 

Enquanto na partida da Copa do Brasil o Coxa se preocupou em cozinhar o galo, achando que iria ganhar a qualquer momento, ontem mostrou capacidade de fazer a vantagem e administrá-la usando sua maior qualidade perante um adversário inferior. 

Em relação aos reforço que jogaram em Paranaguá, fica evidente que o único o qual demonstrou capacidade de titularidade é Roni. Esse tem sintonia com o meio campo de Alex e Robinho, algo que tínhamos quando Rafinha abria pelos lados e dava mobilidade ao ataque Coxa, porém sem a presença de um meia cerebral como Alex para distribuir o jogo.

No entanto, se existe um problema ainda nesta equipe e que acaba dando ainda muitos sustos na torcida coxa é a falta de um cabeça de área a frente da zaga. Como em outros jogos, no primeiro tempo o Rio Branco teve muito espaço para trabalhar a bola perto da área, sobretudo nas costas dos laterais. Somente quando Dado tirou Carlinhos e colocou Diogo que a coisa melhorou um pouco. 

Esta inclusive pode ser um desenho possível enquanto não chega o homem de marcação do meio não chega, pois com Carlinhos e Ferraz subindo pelos lados, somados a Germano e Gil que não guardam posição na defesa, não há zaga que aguente.

Agora, eu realmente não sei o que Dado tem contra ter manter um atacante de ofício nesta equipe. Ele opta jogar Alex para trombar com zagueiros no ataque a colocar um atleta de ofício, como por exemplo Keirrison. Se não está funcionando Julio Cesar, até porque não é essa a característica do jogador, por que não entra com o guri? No entanto, Dado prefere queimar Alex na frente a fazer uma substituição padrão. Os "Professores Pardau" do futebol conseguem reinventar o que já é provado pela razão há tempos. 

Esperemos o futuro para ver o que essa equipe pode fazer. Ela tem muito a evoluir, mas a chegada de reforços é inevitável para um 2014 tranquilo. 

SAV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget