sexta-feira, 14 de março de 2014

2014 com gosto na boca de 2013.

Estreia na Copa do Brasil contra o novato Cene, do Mato Grosso do Sul. Grande chance do time titular do Verdão mostrar um bom futebol, algo que ainda anda escasso pelos lados do Alto da Glória neste ano. No entanto, o resultado foi um empate por 2 x 2, deixando aquele gosto amargo de 2013 na boca e na memória do torcedor coxa-branca.

A partida no geral foi movimentada, e limite-se a esse adjetivo. As duas equipes criaram algumas boas chances de gols, mas a quantidade de erros de passes e conclusões foram absurdas. O Verdão depois que virou o jogo teve condições de matar a partida em pelo menos 3 ou 4 vezes, todas desperdiçadas pelo seu afobado ataque.

Do plano tático, o Coxa mais uma vez mostra que ainda tem muito, mas muito a melhorar. É uma movimentação estranha do meio para frente, onde não se sabe qual esquema tático a equipe está utilizando. Falta calma na definição das jogadas, no apoio dos laterais, os volantes que parecem mais meia atacantes porque não guardam suas posições, e por fim a zaga, que fazem Andrezinho, Dubinha e cia parecerem jogadores de bom nível técnico.

Prova maior da desorganização é ver Gil disputando bola pelo alto na grande área enquanto Chico fica marcando sabe Deus quem. Resultado: gol do adversário. Tudo bem que a equipe mostrou poder de reação, virando a partida e dando a impressão de que iria fazer o resultado suficiente para eliminar a segunda partida. Nada disso aconteceu, a equipe tomou o gol de empate, e merecidamente terá que jogar a segunda partida em Curitiba, no próximo dia 9.

A grande verdade é que um time de primeira divisão que não consegue eliminar o segundo jogo da Copa do Brasil frente a um adversário esforçado, porém de expressão infinitamente menor, merece ter um calendário bem cheio para o ano inteiro, como castigo pela incompetência de não conseguir resolver partidas nas quais tem a obrigação de vencer, como no caso de ontem.

E olha, nem vou comentar as substituições de Dado, porque essas mereceriam pelo menos um post inteiro para tentar decifrarmos os motivos pelos quais um técnico tira um meia esquerda para a entrada de um lateral direito (que devido às convicções do "professor" também faz a meia), e por que se coloca Anderson Aquino em campo, deixando Keirrison para entrar faltando 8 minutos para o fima da partida. Realmente é muito para minha cabeça.

Realmente 2014 promete muito para a torcida coxa-branca.... muito estress!

SAV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget