quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Angústia sem fim.

Depois de um tempo afastado do blog, estou voltando para escrever sobre nosso Glorioso Verdão. O que me dói é que o nosso panorama atual não é tão glorioso quanto nossa história.

O Coritiba ontem conseguiu mais uma vez ser derrotado dentro de casa, desta vez pelo Corinthians, com um gol do volante Guilherme. 

A narrativa do gol espelha muito bem o momento da equipe: erro na saída de bola da defesa, um "volante" absolutamente sozinho na entrada da grande área, que teve tempo de ajeitar o corpo e bater seco no canto do goleiro Vanderlei, que nada poderia fazer para evitar o gol.

Não bastassem as falhas de armação e conclusão de jogadas, os quais originaram para o Coxa APENAS um chute e uma cabeçada em direção ao gol durante todo o primeiro tempo, os erros de saída de bola comprometeram a apresentação da equipe ontem.

Eu já comentei em redes sociais que este não é o momento de jogarmos contra a equipe e o clube. O excesso de críticas neste momento só prejudicam ainda mais o desempenho irregular do time no campeonato. A hora certa de se fazer isto é após o encerramento do brasileirão, com o Verdão livre do rebaixamento. No entanto, do jogo de ontem não temos condições de tirar mais do que um ou dois pontos positivos -no caso entendo que somente Carlinhos aparece como um ponto positivo- pois a equipe foi mal por inteiro.

E nem o erro absurdo cometido por Vuaden, que parecia estar literalmente "voando" quando Alessandro INTENCIONALMENTE colocou a mão na bola dentro da área, pode apagar o mau jogo praticado pela equipe Coxa. É bem verdade que esta arbitragem tendenciosa já era esperada, visto que enfrentávamos um time midiático, mas ainda assim se o Verdão apresentasse um futebol minimamente competitivo, poderia ter conseguido um resultado melhor do que a derrota de ontem. 

Não bastasse a falta de Júnior Urso e Robinho no meio, as alterações de ontem não contribuíram em absolutamente nada para que a equipe melhorasse. Um dos exemplos foi Diogo, que em uma jogada no segundo tempo pela esquerda conseguiu se livrar de todos os marcadores em uma arrancada sensacional, e na hora de cruzar, mandou a bola quase na meia lua da grande área e facilitando o corte da sólida zaga corintiana, jogando fora uma ótima oportunidade de ataque Coxa. 

Aquele lance aliás me remeteu ao passado, que quando ainda criança assistia Escolinha do Professor Raimundo. Um dos personagens chamado Sandoval Quaresma era o retrato de Diogo naquele momento: respondia todas as perguntas corretamente até a última para ganhar o 10, mas quando chegava na hora de fechar com chave de ouro, literalmente "chutava" qualquer coisa, e o resultado era desastroso. Retrato perfeito de Diogo durante o tempo que esteve em campo. 

Feitas as ponderações sobre o jogo de ontem, agora nos resta acreditar que contra um embalado Criciúma no sábado o Verdão consiga fazer algo melhor do que fez nesta quarta-feira e contra a Portuguesa, caso o contrário, corre sério risco de penar para ficar na série A.

Por fim, lembro-me que ano passado quando estávamos em dificuldade, o Coxa achou uma saída a qual acabou sendo nossa salvação: o nome dela era Deivid. Porém, este ano estamos novamente na mesma situação, mas sem um fator novo semelhante ao que pudemos recorrer ano passado, nos restando agora empurrar o time com a garganta e contar muito com a fé, que até agora tem nos ajudado a ficar fora, mas não distante, da Z-4.  Espero que nenhuma das duas acabe, pois me parecem as únicas alternativas as quais podemos recorrer ante a tragédia do rebaixamento.

SAV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget