sábado, 10 de agosto de 2013

O craque, o Presidente e a Realidade.

Ontem o site Lance! divulgou uma entrevista com o craque Alex - leia AQUI - na qual expôs sua opinião sobre o país, o Coritiba, futebol brasileiro e outros assuntos do nosso cotidiano.

Porém, o que mais repercutiu foi quando comentou sobre a gestão do futebol brasileiro, que na sua opinião, a Globo é quem gere o campeonato nacional, enquanto a CBF somente se preocupa com a seleção. Citou como exemplo desta gestão os horários dos jogos, principalmente os de meio de semana que começam às 22:00, os quais citou que somente começam "após o último beijo da novela".

Os argumentos do craque para expor a crítica são mais do que bem fundamentados, pois para o trabalhador do dia-a-dia realmente é difícil assistir jogos neste horário, sabendo que terá que acordar cedo no dia seguinte para trabalhar, sem contar as condições  que as autoridades dispõe para a população atualmente na questão mobilidade urbana são precárias.

Poucas horas depois, o presidente Vilson Ribeiro veio a público para reforçar que as opiniões expostas por Alex são do jogador, e não do clube. Disse também que não tem nenhum "A" para falar contra a emissora que atualmente paga o futebol brasileiro, e quando o assunto são os jogos às 22 horas, defende que não há nenhum problema nisso.

Bem, vê-se nesta entrevista de onde Alex veio: o meio da torcida. Ele sabe exatamente as dificuldades que este que escreve e provavelmente todos os que leem este post passam no momento que precisam ir assistir jogos em horários absurdos, cientes que no dia seguinte terão um dia inteiro de trabalho. E é por isso que Alex é ídolo por onde passa, bastando ver a reação da torcida turca quando se referem a ele.

Querer comparar a organização europeia dos seus campeonatos e a infraestrutura social que o cidadão possui lá quando vai assistir um jogo de futebol afim de justificar os horários praticados no Brasil, é no mínimo debochar da inteligência da torcida e da população.

Mas no fundo nós sabemos os motivos que levam ao nosso Presidente defender determinadas instituições brasileiras. A repressão no Brasil não acabou com o fim ditadura e as "Diretas Já", apenas se materializou de outras formas que assustam menos, mas coagem com a mesma força.

Parabéns Alex pela entrevista, e saiba que o cidadão de bem, o cara que paga ingresso e sofre para voltar para casa, sabe que não está inventando uma vírgula, somente retratando a verdade do nosso povo.

SAV

Um comentário:

  1. "Querer comparar a organização europeia dos seus campeonatos e a infraestrutura social que o cidadão possui lá" A turquia é paístão ruim quanto o Brasil, onde enterram mulheres vivas porque elas falam com homens, só que mais pobre. http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1477973-5602,00-MENINA+E+ENTERRADA+VIVA+PELA+FAMILIA+POR+FALAR+COM+MENINOS+NA+TURQUIA.html

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget