terça-feira, 21 de maio de 2013

Opinião - Ser grande é saber se valorizar.

Lendo hoje as notícias do Verdão, vejo que existem algumas supostas transações envolvendo jogadores, principalmente os pratas da casa. São os casos de Willian e Abner.
 
A premissa de qualquer ser ou instituição que exista é se valorizar para ser valorizado. No caso do futebol, valorizar o esforço de formação de jovens atletas e negociá-los no tempo certo torna o clube cada vez maior e mais forte e competitivo. Agora, quando esses atletas são vendidos precocemente, ou ainda trocados por jogadores de mesma qualidade e idade mais avançada, o clube demonstra falta de sabedoria na valorização do seu trabalho.
 
Trocar um jogador como o Willian por jogadores rodados e com históricos inacabáveis de DM, dão indícios de uma mistura de desespero com pressa em trazer fatos novos à torcida coxa branca. Os jogadores do São Paulo que estão disponíveis para negociação (Fabrício, Cortez e Wallyson) foram liberados por não renderem o esperado no clube paulista. Assim, uma eventual troca só seria bom negócio para o São Paulo, que além de se livrar de jogadores de qualidade técnica mediana, são caros, e alguns deles possuem longos históricos de DM.
 
Agora, o caso do Abner é ainda mais absurdo. Sabidamente a carência de lateral esquerdo é crônica. Pois bem, surge então uma promessa para a solução da posição, aquela solução que é a mais barata, inteligente, e que pode render ótimo retorno ao clube no futuro. Mas o que arrisca acontecer? A revelação da base coxa branca pode sequer estrear no time principal, visto o apetite do mercado europeu em levar a revelação coxa é enorme. Abner tem que crescer na equipe principal, ganhar experiência, se valorizar, e aí sim ser negociado. Isso é um bom negócio para o Verdão.
 
De momento, como ainda as duas situações estão no campo especulativo, espero que fiquem por aí mesmo. Jogadores formados na base são para dar retorno ao clube, e não para serem utilizados em trocas por jogadores rodados, com históricos de lesões, e que poderão trazer mais prejuízos do que lucros aos cofres do clube. Valorizar o que é seu é o primeiro passo que o Coritiba deve tomar para se fortalecer, e se os clubes de fora querem adquirir nossos jogadores, que sejam pelo preço justo , e não em troca de esmola.
 
SAV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget