domingo, 30 de março de 2014

Males para o bem.

Males para o bem. 

Esta é a única justificativa aceitável para a desclassificação Coxa frente ao Maringá neste domingo. São tantas circunstâncias negativas que justificam o novo feito deste time de 2014, que só posso imaginar que essas duas últimas partidas devem ter deixado algum ensinamento para o grupo e para a clube.

Está certo que o Coritiba hoje perdeu uma infinidade de chances. Dentre as mais claras, uma desperdiçada por Alex já no segundo tempo, sozinho e dentro da pequena área, espelhando ali muito do que tem sido esse ano do Alviverde, não conseguindo em nenhum momento se impor ante adversários claramente mais fracos. 

Mas o fato é que o Maringá jogou de forma inteligente, aceitando uma pressão normal de quem vem para Curitiba com a vantagem embaixo do braço. Tanto é verdade que nas poucas chances de contra-ataque que os maringaenses tiveram, chegaram a um gol, e ofereceram vários riscos ao Coxa nas demais oportunidades. 

E o que se torna absoluto aos olhos do torcedor após esta desclassificação é que o planejamento 2014 novamente não tem "dado" certo. Pré temporada em Foz do Iguaçu, mais tempo para treinamento, e a disputa de um campeonato que além do título vale como uma excelente forma de preparar a equipe para os campeonatos nacionais, nada disso deu certo. 

Em relação a Dado, o não aproveitamento da base, a má escalação da equipe, sobretudo nas últimas 3 partidas, e as improvisações de jogadores, definitivamente sepultaram seu trabalho no estadual, e ainda pode lhe custar o pescoço, dependendo da impaciência da torcida e da diretoria. 

Quem merece ser respeitado neste momento é a equipe maringaense, com uma folha de pagamento de R$ 250 mil, conseguiu vencer o maior candidato ao título, mostrando futebol competitivo e vencedor. Destaques na equipe durante o confronto não faltaram, mas pinço como escolha pessoal o lateral direito Reginaldo. Não sei se em uma equipe maior teria o mesmo rendimento, mas nesta semi-final, engoliu Diogo, Carlinhos, e quem mais apareceu pela sua frente.

Quanto aos vencidos, resta juntar os cacos e se reorganizarem, sabendo que com o que foi feito até agora, não se chegará sequer a classificações medianas nas disputas nacionais. Que diretoria e atletas tenham isso em mente, para que depois não chorarem mais derrotas.

SAV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget