quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Ataque...de nervos...

Antes de qualquer coisa, quero agradecer imensamente a você que leu ontem o blog deste que vos escreve. Batemos o recorde de acessos com o post "Premonição", sinal de que as vezes é legal levar com humor a desgraça que acontece com a gente. Obrigado a todos pelos vários acessos, pelas críticas boas e ruins, afinal de contas não dá para agradar todo mundo, mas se conseguirmos atingir a maioria já está ótimo.

Falando da estreia na Sulamericana contra o Vitória ontem a noite, mais uma vez o Verdão dominou as ações da partida. É impressionante como o Coxa consegue tornar seus adversários impotentes quando joga fora de casa, pois a marcação é aplicada desde o campo de ataque, e a velocidade de transição entre defesa e ataque incomoda os adversários. 

Claro, são muitos os erros de passe ainda, as coisas poderiam ser melhores, mas para um time que anda jogando este mês de agosto praticamente desconfigurado, o futebol apresentado dentro de campo, se não é pujante, é pelo menos muito bem organizado, principalmente na defesa. Marquinhos Santos tem mérito nisso, pois mesmo mudando peças, a equipe continua com este equilíbrio interessante, podendo enfrentar qualquer adversário.

Agora, o que não pode passar desapercebido é o calcanhar de Aquiles desta equipe, o nosso ataque. Ontem no primeiro tempo composto por Bill e Arthur, e no segundo tempo tendo a entrada de Keirrison no lugar de Bill. Olha, tudo o que elogiei no parágrafo anterior se perde a medida que nossos atacantes não conseguem transformar esta superioridade em gols.

Houveram lances tão bizarros, como no segundo tempo quando Arthur pega a bola de frente para a área, com opção de chutar ou passar para um companheiro fazer o gol, e não faz nem um coisa nem outra. Pior, tropeça, cai sozinho e oferece a bola para o contra-ataque do rival. Além disso, outros lances onde a equipe simplesmente não define a jogada com um chute, tentando sempre o toque a mais, são de deixar qualquer um desenxavido.

De bom, além da postura no meio, foi a estreia de Vitor Junior, que fez em 10 minutos quando entrou no segundo tempo fez mais que praticamente o ataque inteiro do Coxa não havia feito no primeiro tempo inteiro: chutar a gol.

Concluo que temos um grupo bom, que pode enfrentar qualquer um neste campeonato. Porém, se não tivermos um ataque mais efetivo, continuaremos como nos dois últimos jogos, incomodando, enfrentando os adversários, e não vencendo por não traduzir a superioridade em gols. Acorda Verdão, ainda dá tempo!!!

SAV

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget